Menu

Notícias

Vamos brincar com água?

Data: 21 de dezembro de 2021

As crianças do Grupo 1, 2 e 3 gostam tanto de brincar com água – seja no banho de mangueira, de bacia, de piscina ou na brincadeira no parque -, que resolveram conhecer mais sobre… A água.

A professora Crisliane Belchior iniciou a pesquisa perguntando o que as crianças já sabiam sobre a água. Muitas disseram que serve para tomar banho, lavar as mãos, lavar os alimentos, fazer comida, beber etc. Partindo disso, foram estudar sobre os tipos de água – doce, salgada, salobra – e onde são encontradas.

Uma das atividades práticas foi a ida até a praia, que delícia!! Lá as crianças puderam pôr em prática o que é se banhar na água salgada, em um momento de lazer bem gostoso e com muito aprendizado, quando o limite é a imensidão do oceano.

Além do som das ondas, os alunos descobriram mais sobre o fundo do mar com a música do Mundo Bita. E já que “no fundo do mar é só diversão”, como canta a música, eles também aprenderam sobre a vida aquática marinha de forma lúdica e descontraída.

fe8d84ce-6204-4a7a-9e49-c7426382b37c-e1640695171296-300x257 Vamos brincar com água?

Já a partir das músicas “Naturágua” e “De gotinha em gotinha”, eles observaram fenômenos naturais como a formação dos rios, mares, lagos e das chuvas e nuvens.

Aproveitando o ensejo, as crianças viram a importância da água sob o olhar da higiene do corpo, como o banho e a escovação dos dentes. Dando continuidade aos estudos, a professora Crisliane levou um globo terrestre para a sala e os alunos observaram a grande quantidade de água existente no planeta. Saíram impressionados com as curiosidades que descobriram, como por exemplo: a mesma água da praia de Natal é a água da praia de outro país?!

Cada aluno construiu um planeta Terra a partir de pinturas em pratos de papelão com areia colorida. Também produziram e coloriram barquinhos de papel, e, na ocasião, abordaram os meios de transportes aquáticos. Por fim, as crianças pintaram caranguejos com as mãos, inspirados na cantiga popular “Caranguejo não é peixe”.

← Voltar